Mosaico, reorganizando os cacos…

A experiência com mosaico tem como pontos principais organizar, reunir, encaixar cacos, ato que acontece externamente, mas que em paralelo auxiliam a organização interna daquilo que se encontra em pedaços. É uma maneira de cuidar das emoções, dos afetos, das memórias e demais conteúdos que se encontram desorganizados e confusos. O mosaico é ótima ferramenta no processo arteterapêutico.

Vemos lindos trabalhos feitos com mosaicos, diversos fragmentos de azulejos e lindas pastilhas para criar e encantar.  No espaço terapêutico além dos azulejos e pastilhas podemos usar outros recursos para fazer o mosaico, como: tampas de embalagens plásticas, pedaços pequenos de papel e E.V.A., pedras, espelhos, folhas, sementes, miçangas, casca de ovo, asparas de lápis e o que mais a imaginação sugerir. Podem ser montados em pedaços de papelão, MDF, isopor, papel paraná e, colados com cola branca finalizando com massa para rejunte de parede.

Em certas situações é interessante que o cliente tenha o movimento de quebrar o azulejo, quebrar estruturas internas, liberar emoções de raiva ao usar sua força para despedaçar aquela peça dura e resistente. Após a quebra proponho ordenar os cacos e criar uma nova imagem, o que permite ressignificar conteúdos internos. 

É uma proposta que requer força, atenção, concentração, dedicação com as pequenas peças e criatividade. Lembrando que é importante preencher os espaços o máximo possível entre as peças, movimento que acontecerá internamente também.

Junte objetos variados e crie, fazendo um mosaico interno também! 

Aline Souza – Neuropsicopedagoga e Arteterapeuta


0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *