AMAR UMA CRIANÇA

*Não basta amar um filho, é preciso expressar esse amor em ações* 

Amar um filho é, ao mesmo tempo, simples e desconcertante, pois não basta sentir o amor, é preciso demonstrá-lo! Ter o coração inundado de afeto por um filho não é o suficiente, amar o bebê, a criança, o adolescente, em todas as fases de seu crescimento, requer se expressão desse amor com atitudes amorosas. E, provavelmente, você já sabe, este é um compromisso para a vida toda, que requer energia, muito trabalho, suplantação de preconceitos e dos próprios limites. É preciso se superar, dar o melhor de si. É preciso estar sempre atento para o que se diz e o que se faz, porque vocês, pais, são as pessoas mais importantes na vida de seu filho e, no fundo do coração, sabem quer a forma como tratam essas criança terá um efeito significativo em seu desenvolvimento.
As atitudes amorosas são necessárias a partir do momento em que o bebê vem ao mundo, e o serão pela vida afora. O bebê nasceu há apenas um mês e a vida do casal mudou completamente. Acabara-se as noites de sono, os banhos demorados, as refeições prolongadas e as saídas com os amigos. Mas, ao colocarem as próprias necessidades em segundo plano para cuidar do bebê, pode-se descobrir que esses atos de amor estão enriquecendo suas vidas. Eles estão aprendendo rapidamente o que a maioria dos pais já aprendeu – que não se pode ser egoísta, egocêntrico ou preguiçoso quando se quer cuidar de um filho com dedicação; tarefas banais não muito divertidas, como trocar fraldas, terão de ser cumpridas, mas se forem feitas com amor para suprir as necessidades do bebê elas fortalecerão os laços entre pais e filhos. Os pais aprendem assim, criar um filho requer adaptação continua e ações amorosas, mesmo que em alguns momentos você esteja cansado demais para sentir tanto amor. 
Mas, por mais que acreditem em seus sentimentos, muitas vezes suas atitudes mostram o contrário. Sem perceber eles criticam, e subestimam os filhos – é como se não prestassem atenção ao que estão fazendo. Isso não significa que sejam más pessoas, apenas não aprenderam a transformar o amor em atitudes do dia a dia, não aprenderam a se colocar no lugar dos filhos.
Talvez por estarmos todos tão ocupados, cansados e assoberbados tentando ser superpais precisamos apenas de um sutil lembrete: como expressar nosso amor pelos filhos e como agir afetuosamente. 
Amar uma criança é um guia para todos os pais que querem transformar o amor em ação e dar aos filhos a oportunidade de crescer da forma mais saudável. O importante é a qualidade dos momentos que passam juntos com os pais.

Retirado do livro: “Amar uma criança: dicas para expressar o afeto no cotidiano”. 
Judy Ford, Editora agora. Pg. 14.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *