Atividades em grupo Março/2020

– Conexão com o feminino / Dias 02, 16 e 30/03
– Encontro de mães para uma vivência Arteterapêutica / Dias 09 e 23/03
– Ativando a mente / Início 05/03
– Vivências com Mandalas / Dias 07 e 21/03
– Jogo da Vida / Dia 14/03
– Aprofundamento Mulher / Dias 07 e 21/03

Informações: 11 96477 3219

O que é Arteterapia?

A psicologia analítica adequa e fundamenta a prática arteterapêutica, que ao utilizar diversos recursos expressivos favorece um diálogo com as imagens inconscientes. 

Ao falar de arteterapia, damos importância à criatividade, à espontaneidade do inconsciente e a arte como um caminho para se expressar, transformando sentimentos e pensamentos em imagens que posteriormente são ressignificadas possibilitando e ampliando o autoconhecimento e a transformação interior.

A arte é uma facilitadora do acesso ao inconsciente, vem sem disfarce, sem controle ou defesas, uma comunicação que vai além do verbal. A expressão simbólica através do desenho, pintura e modelagem, por exemplo, descentraliza o ego promovendo uma experiência menos racional com as imagens. O fazer criativo também pode provocar prazer ao lidar com as infinitas possibilidades e descobertas que os materiais plásticos oferecem.

A arteterapia irá amparar, proteger e acolher o processo natural de criação e a materialidade envolvida, ou seja, com os materiais, terapeuta e com aquilo que cria. 

 Os materiais são escolhidos cuidadosamente, pois além de estimular a criatividade podem estabelecer outras relações como aquelas que precisam impor força, com o uso de materiais mais duros, ou ajudar a liberar afetos mais intensos com os materiais mais fluidos. O arteterapeuta organiza as atividades em consonância com esse funcionamento e considera também as dimensões psicodinâmicas básicas do processo arteterapêutico.

É essencial entrar em contato com a arte realizada, fazer uma leitura compreensiva das imagens, deixar vir e sentir o que veio à tona durante o processo de criação, sem a intensão da mera interpretação e preocupação estética. Aos poucos o indivíduo adquire novos olhares para si mesmo, descobre sentimentos e sensações, que poderão ser assimiladas pela consciência. 

Vale a experiência desse processo! 

Aline Souza Costa 

Arteterapeuta